ENEMA: Da série Rotinas do Parto Normal – o que eles fazem por você que mais atrapalha do que ajuda

Padrão

Enema – constrangimento desnecessário

Enema ou enteroclisma são procedimentos utilizados para promover o esvaziamento dos intestinos. A diferença de um para outro é a quantidade de fluido inserido na porção distal do intestino através do reto. É também conhecido como lavagem intestinal. É procedimento de rotina na maioria dos hospitais e maternidades no momento de internação da parturiente, mais uma etapa do “ritual de purificação”. Qual o suposto objetivo? Evitar a contaminação fecal na hora do parto e acelerar o andamento do trabalho de parto. E qual o verdadeiro resultado? Dor, desconforto e humilhação.

Dá pra imaginar a situação da mulher, com contrações, novamente submetida a outro procedimento humilhante que vai lhe causar uma baita cólica intestinal com uma maravilhosa diarréia? Perfeito, não? Calma! ainda pode ser pior e você passar boa parte do trabalho de parto gotejando matéria fecal líquida. Inúmeros estudos demonstraram que não houve redução no tempo de trabalho de parto e nem na contaminação fecal e nem na incidênca de infecção pós parto na episiotomia.

Opa! Mas episiotomia é aquele famoso corte no períneo que teve sua aplicação como procedimento de rotina questionada e derrubada há quase trinta anos atrás. Voltamos ao que eu argumentei no post anterior: se a episio deve ser feita em raríssimos casos, não há justificativa para realizar enema em todas as parturientes que chegam mesmo que tal procedimento prevenisse infecção no pós parto. E se o medo é de a mulher defecar durante o expulsivo, sejamos objetivas: muito mais fácil recolher uma pequena quantidade de fezes em consistência normal do que limpar um jato de diarréia que se espalha por tudo e contamina uma área muito maior. Até na banheira, por exemplo, se ocorrer a eliminação de fezes, recolhe-se com uma peneirinha rapidamente e pronto! Problema resolvido! Mas e se for líquida? Fazer o quê com toda aquela água? Ou seja, é muito mais fácil contaminar tudo se você tiver sofrido enema.

“Ai, mas que vergonha, fazer cocô na frente de uma platéia, com um holofote virado pra mim!” Vamos desmistificar um pouco o assunto. Se você mantiver uma alimentação equlibrada, com bastante fibras, garantindo uma evacuação normal nos últimos dias que precedem o parto, é muito provável que seu corpo realize uma limpeza natural e no início do trabalho de parto você vá sucessivas vezes ao banheiro, eliminando o conteúdo de seus intestinos. Caso permaneça algum material na ampola retal, o que ocorre é que, quando a cabeça do bebê descer pelo canal de parto, o tecido que separa o canal vaginal do canal retal vai ser empurrado pará trás e vai bloquear seu reto (visualizou?). Então, o que estiver acima disso, não desce mais. Mas se tiver algo na porção final do reto, provavelmente vai ser empurrado para fora com o movimento da cabeça do bebê e sim, vai sair, ANTES do bebê, em estado sólido, em pequena quantidade e quem te assiste vai ter a delicadeza de tirar dali o material sem que você talvez nem perceba que o fez e sem nem fazer nenhuma brincadeirinha ou comentário infeliz. Agora, se você passou pelo enema, o bloqueio da cabeça do bebê talvez não seja suficiente pra conter a enxurrada que pode ter restado no seu intestino e aí…

E se você está lendo isso, provavelmente é por que está interessada em um parto menos “normal” que o padrão hospitalar de hoje, de forma que eu acredito que não vá haver um holofote virado pra você e sim uma tênue luz preenchedo a sala. E se você sofre com prisões de ventre horríveis, se na ocasião do parto estiver há dias sem evacuar e isto estiver te gerando desconforto, se tem fezes assim tão ressequidas e tanta dificuldade pra evacuar e se seu corpo não eliminar sozinho o conteúdo intestinal nas horas que precedem o parto, bem, pode ser que se beneficie com um enema. O mais importante é a avaliação INDIVIDUAL de cada caso e a sua LIBERDADE de escolha e não simplesmente se subeter a um procedimento por que o doutor mandou ou por que é regra do hospital. Mas eu acho que se beneficiaria muito mais resolvendo a prisão de ventre antes da hora P.

Enema: mais um procedimento que a OMS considera prejudicial ou não efetivo e que deve ser exlcluído dos protocolos de rotinas hospitalares.

Para saber mais:

http://www.scielo.br/pdf/rlae/v9n6/7826.pdf

http://www.febrasgo.org.br/arquivos/femina/Femina2010/outubro/Femina_v38n10_527-537.pdf

Anúncios

Uma resposta »

  1. Pingback: Rotinas do Parto NORMAL – o que eles fazem por você que mais atrapalha do que ajuda | criaminha

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s